O Sítio do Também Não

Conta-se que certa vez, Alexandre, o Grande, se deparou com Diógenes na rua e lhe disse: “Eu sou Alexandre, o grande rei”. Ao que Diógenes lhe respondeu: “E eu sou Diógenes, o cão”.

sábado, junho 04, 2005

Tratado ou Constituição?


    Parece-me que vai sendo tempo de os defensores do "sim" se decidirem. É que quando lhes convém falam-nos de um Tratado, sem mais nem menos poderes vinculativos que todos os anteriores - nesta linha de argumentação os defensores do "não" são uns temerosos alarmistas, porque a ratificação deste "grande compromisso europeu", o tal que não é o melhor, mas o melhor possível (numa moderna versão do Cândido de Voltaire), a sua ratificação, dizíamos, não submeteria - constitucionalmente - os diversos estados europeus ao cumprimento das mesmas directivas, nomeadamente, a sua submissão ao modelo socio-económico neo-liberal e rígido cumprimento do pacto de estabilidade.

    Por outro lado, contudo, quando lhes dá jeito proclamam o interesse de uma europa confinada a uma única constituição.

    Em que ficamos, afinal?



    O Cão

    1 Comments:

    • At 3:56 da manhã, Anonymous Pinto said…

      Sei que não estou a dar novidade nenhuma a ninguém, mas parece evidente que o termo "tratado" não é mais que um eufemismo inventado pelos eurocratas para camuflar a intenção de total federalização da UE.

      Na prática este termo é (ou melhor seria, não fossem Franceses e Holandeses estragar o festim) apenas temporário. Após a (eventual) rectificação do tratado por todos os estados membros retirar-se-ia o "Tratado que estabelece", ficando apenas "Constituição para a Europa", que porventura "evoluiria" para "Constituição da Europa".

       

    Enviar um comentário

    << Home